sexta-feira, 13 de janeiro de 2012

Mulher mata ao menos 30 gatos e cachorros em São Paulo

Ao menos 30 gatos e cachorros foram encontrados mortos dentro de sacos de lixo em uma calçada na rua Mantiqueira, na Vila Mariana, zona sul de São Paulo, na noite de quinta-feira (12). Uma mulher foi detida.




SÃO PAULO - Uma mulher identificada como Dalva Lima da Silva, de 43 anos, foi presa no final da noite de quinta-feira, 12, na Vila Mariana, zona sul de São Paulo, acusada de maus-tratos contra animais e crime contra a natureza. Pelo menos 33 animais, entre gatos e cachorros, foram encontrados mortos dentro de sacos de lixo, um deles na calçada, em frente à casa da vizinha da acusada.
Segundo informações essa assassina vinha praticando o ato há tempos. 


Pessoas ligadas a ONGs protetoras de animais contrataram um detetive particular há aproximadamente 20 dias, para investigar o caso. Eles desconfiavam da mulher que recebia animais dizendo que iria cuidá-los e sumia com os gatos e cachorros que recebia.
Por volta das 23h de ontem, o investigador viu a mulher colocando os sacos de lixo no portão da vizinha. Quando olhou dentro dos sacos encontrou os animais mortos e enrolados em jornais.
O detetive particular ligou para a polícia que arrombou o portão da casa para prender a mulher, que se recusava a abrir a porta.
Os policiais encontraram seringas no carro da suspeita e gaiolas para transporte e armadilhas para prender os animais na garagem da casa.
Na casa dela, os policiais encontraram mais sacos e sedativos, que ela dava aos animais antes de matá-los. Há suspeita de que ela também realizava rituais religiosos porque o sangue dos bichos era retirado.

Durante depoimento, segundo um dos policiais civis, a mulher, que não aparentava nenhum sinal de distúrbio mental, chegou a contar várias histórias diferentes.
Ela assinou termo circunstanciado de crime ambiental, podendo ser processada e condenada a uma pena de 3 meses a um ano de prisão.
 



Agora fica a dúvida, quantos animais ela matou se praticava o ato há bastante tempo?


A justiça tem que ser feita e essa mulher tem que apodrecer na cadeia.




Fonte: Folha cotidiano e Estadão